domingo, 23 de novembro de 2014

palavRim


Para Felipe
Eu tenho uma palavra.

Ela não se escreve
não se fala
não se lavra.

Ela dirige
pega a estrada.

É silêncio e motor.
Ignição e rim.


[Nota do tradutor:
Aliás, não se digere. é uma pedra no meio do rim. Atravessia.]


Fortaleza, 23.11.2014
Rodolfo Silva



quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Donas, Donos



"Que bicho é o homem de argila e colostro que lavra e semeia?"
Francisco Carvalho

1. A notícia:

Morre o poeta cearense Artur Eduardo Benevides
http://www.opovo.com.br/app/fortaleza/2014/09/21/noticiafortaleza,3318223/morre-o-poeta-cearense-artur-eduardo-benevides.shtml


2. A crônica:

Ontem à noite, busquei a poesia. Ela me veio na palavra de Francisco Carvalho, na canção de Fagner: o disco "Donos do Brasil".



3. O poema:

A morte de um poeta faz nascer poema.
É o que parece.
É o que perece.
É prece.
É pressa.


4. A dedicatória:

Para Aline, que ama.
Para Weslay, que pare.
Para Francis, que para.
Para Waltherlan, que parte.
Para Wilton, que planta.
'mas faz de conta'
Para Francisco. 
Para Miguel.


Fortaleza, 24 de setembro de 2014.
Rodolfo Silva 

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

a destruição virá como


Para Renan Ramalho, o perguntador.
há 11 horas, R.R. perguntou-me:

"seu blog se auto-destruiu?"

acho que ele se referia à revelação descrita no perfil:

"em breve este blog se-autoapagará"


de uma coisa sei:
"das brumas leves das paixões que vêm de dentro"
a destruição virá como ato terrorista, de guerrilha, de TAZ (Zona Autônoma Temporária).


enquanto isso, em minhas viagens, leio a edição princeps de um livro de 1955.

enquanto isso, respondo às novas perguntas de Miguilim: "onde fica...?"

(
Ontem, respondi cerca de meia centena de perguntas:
- onde fica a praça?
- do lado da nossa casa.
- onde fica a nossa casa?
- no Passaré.
- onde fica o Passaré?
- em Fortaleza.
- onde fica Fortaleza?
- no Ceará.
- onde fica o Ceará?
- no Brasil.
- onde fica o Brasil?
- na América do Sul.
- onde fica a América do Suk?
- no Planeta Terra?
- onde fica o Planeta Terra?
- na Via Láctea.
- onde fica a Via Láctea?
- no Universo.
- onde fica o Universo?
- no "Tudo-Tudo-Grande". 
)
Fortaleza, 21.8.2014.
Rodolfo Silva




terça-feira, 12 de agosto de 2014

trabalho e cidade

"Rodolfo lembrava um marinheiro, sua presença tinha uma amplitude de viagens."
Osman Lins, "Os gestos"


De repente percebi que meus labores envolvem viagens.
Meu primeiro trabalho como professor, no último semestre da faculdade, foi em Aquiraz, a 30km de Fortaleza.
Em Minas Gerais, lembro três trabalhos que exerci:
prestando serviço a uma empresa de pesquisa, viajei para Paracatu e para Uberaba, ainda em 2001.
Quando professor da rede estadual, diariamente, viajava de Belo Horizonte a Sabará.
Depois, ia Belo Horizonte-Contagem-Ibirité-Sarzedo.
Hoje, atravesso, de novo cidades: Fortaleza-Maracanaú-Pacatuba-Guaiúba-Acarape-Redenção.

Fortaleza, 12.8.2014
Rodolfo Silva

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Au revoir, Orkut!


Despedindo-me do Orkut, recupero palavras de meu perfil.
Escrevi os nomes de tantas cidades por onde passei, onde demorei-me.

"
amo as cidades em que vivi & convivi
onde morei, onde passei, pelo menos, uma noite:

em destaque a tríade de minhas conterraneidades:
Recife, onde nasci.
Fortaleza, onde nasci, de novo, e resido atualmente.
Belo Horizonte, que escolhi viver.

CEARÁ (17): Aquiraz, Aracati, Capistrano, Caucaia, Crato, Eusébio, Guaramiranga, Icapuí, Jaguaribe, Jijoca de Jericoacoara, Maracanaú, Meruoca, Redenção, Pacoti, São Gonçalo do Amarante, Sobral, Viçosa do Ceará.

ALAGOAS (1): Penedo.
BAHIA (4): Salvador, Feira de Santana, São Francisco do Conde, Vitória da Conquista.
DISTRITO FEDERAL (1): Brasília.
ESPÍRITO SANTO (1): Serra.
GOIÁS (2): Goiânia, Anápolis.
MARANHÃO (1): São Luís, São José de Ribamar.
MINAS GERAIS (17): Belo Horizonte, Betim, Chapada do Norte, Contagem,  Governador Valadares, Ibirité, Itabira, Juiz de Fora, Ouro Preto, Paracatu, Pouso Alegre, Sabará, Santana do Riacho, Sarzedo,Tiradentes, Uberaba, Viçosa.  
PARAÍBA (4): Araruna, Areia, Campina Grande, João Pessoa, Patos.
PARANÁ (4): Curitiba, Campo do Tenente, Londrina, Ponta Grossa.
PERNAMBUCO (5): Jaboatão dos Guararapes, Recife, Olinda, Limoeiro, Vitória de Santo Antão.
PIAUÍ (1): Teresina.
RIO DE JANEIRO (6): Barra do Piraí, Niterói, Rio de Janeiro, Seropédica, Valença, Vassouras.
RIO GRANDE DO NORTE (4): Mossoró, Natal, Rio do Fogo, São José de Mipibu.
SÃO PAULO (6): Araçariguama, Atibaia, Campinas, Paulínia, São Paulo, Vinhedo.
SERGIPE (1): Pirambu.
 
PORTUGAL (1): Lisboa.
GUINÉ-BISSAU (1): Bissau.

77 cidades.
 
"

quinta-feira, 29 de maio de 2014

cantiga antiga

O lugar é antigo,
anterior a minha morte. 
Sigo entre as chamas.
Cambaleio firme
para mostrar às sombras que nada temo.

Agora, a vertigem é meu lar.

O lugar permanece antigo.
Cada passo é parco
e me faz recuar.

Agora, a ausência me socorre.

Bruxuleio o caminho, altivo e evidente,
enquanto o lugar sorrateia suas entranhas.

O rio é antigo.
Não é anterior.

Fortaleza, 29.5.14.
Rodolfo Silva

quarta-feira, 23 de abril de 2014

esmiuçando o detalhe, amiúde

Para Diego Simões, detalhista.


"The devil is in detail", ditado inglês.

"Deus está nos detalhes" Ludwig Mies van der Rohe, arquiteto.

"Assim como a mosca morta produz mau cheiro e estraga o perfume, também um pouco de insensatez pesa mais que a sabedoria e a honra", Eclesiastes 10:1

"O pouco pode ser o muito disfarçado" Horácio Dídimo, poeta.

"Detalhes tão pequenos..." Roberto Carlos e Erasmo Carlos.


O detalhe pode ser um artifício, um artefato, um dispositivo, uma disposição.
O detalhe servirá para qualquer dos lados.
O detalhe está disponível para várias perspectivas: convergentes, divergentes, antagônicas, categóricas.
O detalhe é quântico, clássico ou astronômico, depende do referencial.
O detalhe, para o míope, está na sua cara.
O detalhe, para Sherlock Holmes, é elementar.
O detalhe para a lupa...
O detalhe para o microscópio...
O detalhe para o telescópio...
O detalhe para o Hubble...
O detalhe é uma lente, um retalho, um recorte, um quadro, um filtro, um funil.
O detalhe é uma porta, uma janela, uma chave, uma picada*, uma heurística.



* picada:  atalho aberto na mata a golpes de facão ou de foice para a passagem de pessoas, pequenos veículos etc. (HOUAISS).

Fortaleza, 23.4.2014
Rodolfo Silva


terça-feira, 15 de abril de 2014

Piruetas para Chico


Novela das 30 [chamada]

                                                                            (Laerte) - Ganhei mais 5 minutos!
                                                                            (Luiza) - Você ganhou muito mais do que isso!


Quem me conhece sabe que não assisto a novelas.
Quem me conhece sabe que só assisto a novela a cada 10 anos (a última que valeu a pena foi a novela das 21 Paraíso Tropical, com Wagner Moura e Alessandra Negrini) e para os íntimos, há um folclore pessoal por trás do último capítulo do folhetim.
(Há, claro, exceções, como foi o caso de Cordel Encantado, telenovela das 18).

Quem me conhece sabe que, apesar de gostar muito de TV, a cada dia, tenho assistido menos.
Mas, de repente, uma chamada da nova novela das 21, Em família, capturou a minha atenção e me trouxe para frente de outra tela, essa.

A cena:
Dentro do carro, Luiza e Laerte esperam. Veem uma senhora entrar num prédio. Num clima de iminente romance, eles trocam as frases citadas acima.

Quem quiser assistir à cena, é só acessar:


Uma coisa puxa a outra ou Uma outra puxa a coisa ou A coisa que puxa é outra, não sei.
Mas sei que o desejo do beijo puxa.
E sei que as novelas revelam desejos.

E sei que, hoje, desejo algo como um beijo bom, que se revela como novela, com vários capítulos.

Uma novela das 30. O diálogo seria assim:

                    - Ganhei mais 2 horas!

                    - Você ganhou muito mais do que isso!

Fortaleza, 15.4.2014
Rodolfo Silva

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

seja a hora, talvez.

numa viagem rotineira, 
embarco na lembrança da pergunta e dos nomes.
se todo dia ouço a mesma pergunta,
o que devo esperar afinal?

mas para o pequeno a pergunta é nova, sempre.
desconfiar deveria ser a estratégia.

o pequeno pergunta
a pergunta pequena:
o que é isso?
o que é isso?

o grande acha que é repetição, coisa velha.
o pequeno pergunta a pergunta pequena.
o grande esquece.
o pequeno descobre.

não mergulhamos o mesmo rio.
nem perguntamos a mesma pergunta.
a resposta, ora, não importa muito.
para o grande, a repetição,
para o pequeno, a pergunta.

o pequeno pergunta
a pergunta pequena:
o que é isso?
o que é isso?

seja a hora, talvez, de 
perguntar: 
eu sei o que é isso?
Fortaleza, 24.2.14.
Rodolfo Silva