quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

livros em processos de (trans)figuração

"Os livros são objetos transcendentes
Mas podemos amá-los do amor táctil
Que votamos aos maços de cigarro"

Caetano Veloso, Livros


"Das cousas já ditas tiramos um corolário
que nos agrada, mas que poucos (segundo
cremos) aceitarão: que nenhuma carestia
deve impedir alguém de comprar livros -
desde que tenha o que se pede por eles -
exceto para obstar alguma malícia
do vendedor ou para esperar ocasião
mais oportuna para a compra."

Ricardo de Bury, Philobiblon
minhas bibliotecas andam!
(metáforas de ventos)

as palavras que li
concretaram-se no asfalto
(metáfora de piche)

não tenho mais livros
doei todos para uma biblioteca pública
(metonímia de mim)

viro as páginas
o papel me comove
se o livro é novo ou velho
Rodolfo Silva
Fortaleza, 24.1.8

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

começo (ensaio)

sempre pergunto-me
por onde começar

já é

o passo (pra frente ou pra trás)
a esquina (indo ou vindo)
a ladeira (descendo ou subindo)
o lápis (o risco ou a letra)
a janela (da casa ou do 14o andar)

não sei ao certo, mas parece que o ano já começou...



Rodolfo Silva
22.1.8.
Fortaleza