sábado, 26 de novembro de 2011

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

comprar livros


Os livros são objetos transcendentes

Mas podemos amá-los do amor táctil
Que votamos aos maços de cigarro
Domá-los, cultivá-los em aquários,
Em estantes, gaiolas, em fogueiras
Ou lançá-los pra fora das janelas
(Talvez isso nos livre de lançarmo-nos)
Ou ­ o que é muito pior ­ por odiarmo-los
Podemos simplesmente escrever um:

Livros - Caetano Veloso

nesses dias
fico curiosamente atento
às possibilidades de se comprar livros mais baratos no Brasil.

minha biblioteca acrescenta-se com

livros da estante virtual e

vários selos têm lançado edições de bolso, mais baratos:


segunda-feira, 29 de agosto de 2011

telha de vidro

"Os primeiros sinais da manhã que chegava afugentando as almas - o sol filtrando-se pela telha de vidro de meu quarto e os passarinhos madrugadores - me devolviam a completa tranquilidade."
Cartas a Cristina, Paulo Freire


vãos da memória,
casas da infância,
no Recife, no Ibura,
as telhas de vidro da imensa casa de minha vó materna - frutífera matriarca -
iluminavam com difusa densa claridade
a casa e suas sombras
as brincadeiras e os pensamentos
de um menino quase quieto.

Fortaleza, 29 de agosto.
Rodolfo Silva


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

diálogo alquímico

Para Horácio Dídimo, poetinha cearense, cansado de ser um reizinho carrancudo



- mestre, quantas lâminas de pétalas coloridas cabem na fissura da palavra fresta?
- prefiro entrecortar e entrecontar histórias.



Fortaleza, 15.8.11.
Rodolfo Silva

sábado, 30 de julho de 2011

um pra lá - dois pra cá

Uma esfera afere-se pela tangência.
Um tango tangencia a turbulência.
Um turbante turva a tendência.
Danço de tarde: adocica meu amor a minha vida.



Fortaleza, 30.7.11.


Rodolfo Silva

sexta-feira, 22 de julho de 2011

os ontens do meu fogo


aujourd'hui
j’écris des gribouillages
fourmis sur le mur, traces (brillants) de limace
demain
j’effacerai - soigneusement - la fumée et des cendres (les hiers de mon feu).


Fortaleza, 22.7.11.

Rodolfo Silva

quinta-feira, 21 de julho de 2011

les hiers de mon feu

hoje
escrevo garatujas
formigas na parede, rastros (brilhantes) de lesma,
amanhã
apagarei - cuidadosamente - a fumaça e a cinza (os ontens do meu fogo).

Fortaleza, 21.7.11.
Rodolfo Silva

segunda-feira, 4 de abril de 2011

o menino e seu nome
























Fortaleza, 4.4.11.

Rodolfo Silva

sexta-feira, 1 de abril de 2011

DESAFORISMO

DESAFORISMO: Leve um para casa!
Fortaleza, 1º de abril de 2011.

Rodolfo Silva

quinta-feira, 17 de março de 2011

quiprocó sem trema

não que me importa a reforma ou o acordo ortográficos.
cada dia eu faço refaço invento um.

agora, não me venha dizer que
fica uma coisa pela outra.
absoluta e definitivamente: não!
chega de qüiproquó, mutatis mutandis, escreverei.



17.3.2011
Rodolfo Silva