quinta-feira, 29 de maio de 2014

cantiga antiga

O lugar é antigo,
anterior a minha morte. 
Sigo entre as chamas.
Cambaleio firme
para mostrar às sombras que nada temo.

Agora, a vertigem é meu lar.

O lugar permanece antigo.
Cada passo é parco
e me faz recuar.

Agora, a ausência me socorre.

Bruxuleio o caminho, altivo e evidente,
enquanto o lugar sorrateia suas entranhas.

O rio é antigo.
Não é anterior.

Fortaleza, 29.5.14.
Rodolfo Silva

Nenhum comentário: