domingo, 16 de março de 2008

poemagem

claro que digitar (ou como antes, datilografar) palavras
no papel (ou como agora, na tela do editor de textos)
não é a mesma coisa que a antiga técnica.

imagem: esta é a busca poética,
qualquer que seja a tecnologia.

espero que tenha ficado claro,
cara leitora internauta.

rapidamente a letra aparece,
mas se pudéssemos ver cada pigmento formar-se, arboreamentelento,
veríamos a imagem desenhar-se.

esse mesmo desenho,
da letra,
no papel,
no papiro,
ideogramalfabeto: imagem.

letra,
imagem,
palavra,
poema.

poemagem.

Rodolfo Silva
16.3.8.

sexta-feira, 14 de março de 2008

essa palavra deve ter vindo de todos os lados.

vento que trouxe no papel virado dobrado amassado arremessado
pela mão.
vida que deixou escrita no papel dobrado envelopado encomendado
para os vivos.
volta que deu no papel desenhada pela tinta azul descida deslizada
pela esfera.

essa palavra deve de ter vindo de todos os lados.

a palavra é um objeto.
é uma partícula pó.
é um tracejado (imagem para quem ver aos poucos) rabiscado no ar.
a palavra é uma conseqüência inútil (que veio de todos os lados).

veio até mim
que estou em lugar nenhum.


Rodolfo Silva
14.3.8.