domingo, 6 de dezembro de 2009

para ler Kafka

"Se um livro que estamos lendo não nos desperta como um golpe na cabeça, por que o lemos? Meu Deus, seríamos felizes também se não tivéssemos livros, e se os livros que nos tornam felizes, pudéssemos nós mesmos escrevê-los. Mas os livros dos quais temos necessidade são os que caem sobre nós como a desgraça, que nos perturbam profundamente como a morte de alguém que amamos mais do que a nós mesmos, como um suicídio. Um livro deve ser como uma picareta que rompa o mar de gelo que está dentro de nós."
Kafka
(epígrafe do livro Coélet, de Gianfranco Ravasi,
Edições Paulinas, 1993)


bem,
para mim, a obra de Franz Kafka era LO++ , segundo o sistema de notações criado por Pierre Bayard (*). mas sou grato a uma professora de teoria literária (que tive há um ano). ela, simplesmente, adotou "A metamorfose" para ser estudado durante sua disciplina. tal vetor kafkiano mudou, drasticamente, minha trajetória de leitor.





voltando-me a Bayard, anotei logo no início da leitura do livro (em 16.10.8) a seguinte frase, em relação ao que acabara de ler: "eu poderia ter escrito tal parágrafo."


"Nascido em um meio onde se lia pouco, não apreciando esta atividade e de todo modo não tendo tempo de me dedicar a ela, com frequência me vi, por conta de determinadas circunstâncias, habituais na vida, em situações delicadas nas quais fui obrigado a me expressar a respeito de livros que não tinha lido."
(Como falar dos livros que não lemos?
Pierre Bayard
Editora Objetiva, 2007)




(*) LO + +: livro de que ouvi falar; opinião muito positiva.








bem ou mal,
pelo menos com a leitura das narrativas de Kafka, quero poder falar de algo que sei, gostaria de saber, aproximando-me, tangenciando o(s) sentido(s).


talvez por ser fim-de-ano, me atrevo a propor ler os livros kafkianos em 2010.
(pura influência do genial livro que descobri no fim-de-semana passado:)










Kafka de Crumb (Introducing Kafka)
textos de David Zane Mairowitz
desenhos de Robert Crumb
Relume Dumará, 2006
















para uma introdução ao universo kafkiano,
sugiro mais dois livros:






à esquerda:
Lição de Kafka
Modesto Carone
Companhia das Letras, 2009


à direita:
Kafka
Gérard-Georges Lemaire
L&PM, 2006

Nenhum comentário: