quinta-feira, 31 de maio de 2007

isso pra mim é viver

para A. W.
(para nossa saudade)

eu gosto de
Brasília

seus
traço arco concreto futuro
suas
curvas arquitetura

em pleno vôo viajo vejo veloz
a paisagem planalta da capital

escrever não escrever

se pudesse, escreveria
com minhas próprias palavras, traçaria
a linha do Equador de Djavan, de Caetano Veloso

podem me prender por plágio!




Linha do Equador (Djavan e Caetano Veloso)

Luz das estrelas

laço do infinito

gosto tanto dela assim

rosa amarela

voz de todo grito

gosto tanto dela assim

esse imenso, desmedido amor

vai além de seja o que for

vai além de onde eu vou

do que sou

minha dor minha linha do equador

esse imenso, desmedido amor

vai além de seja o que for

passa mais além do

céu de brasília

traço do arquiteto

gosto tanto dela assim

gosto de filha música de preto

gosto tanto dela assim

essa desmesura de paixão

é loucura do coração

minha foz do iguaçu

polo sul, meu azul

luz do sentimento nu

esse imenso, desmedido amor

vai além de seja o que for

vai além de onde eu vou

do que sou

minha dor, minha linha do equador

mas é doce morrer nesse mar

de lembrar e nunca esquecer

se eu tivesse mais alma pra dar

eu daria, isso para mim é viver



(ênfases acrescentadas)


Brasília, 30.5.7.
Rodolfo Silva

Nenhum comentário: